Todos nós já ouvimos dizer: “Confiança é a chave!” E é verdade.

A confiança pode abrir portas, abrir caminhos e até nos ajudar a conquistar um ambiente. Mas e se você muitas vezes se sentir como uma flor da vida, sempre se misturando ao fundo?

Aqui está o verdadeiro chute.

Sua linguagem corporal pode estar transmitindo sua falta de autoestima, mesmo sem você perceber. Sim, essas dicas sorrateiras e sutis que inconscientemente emitimos podem estar contando uma história muito diferente daquela que queremos contar.

A questão é – “Como posso saber se minha linguagem corporal mostra baixa autoestima?”

Boas notícias! Estamos prestes a nos aprofundar em alguns sinais de linguagem corporal menos conhecidos que sinalizam baixa autoestima.

Ao reconhecer esses sinais, você pode tomar medidas para aumentar sua autoconfiança e deixar sua confiança transparecer.

Vamos mergulhar!

1) Evitar contato visual

Você já percebeu como algumas pessoas não conseguem segurar seu olhar?

Bem, aqui está o furo.

Evitar contato visual é um sinal clássico de baixa autoestima. É como uma forma instintiva de se esconder, de evitar ser visto com muita clareza.

Pense nisso.

Quando estamos confiantes, ficamos confortáveis ​​em fazer contato visual. Mostra que estamos engajados, interessados ​​e presentes no momento.

Mas se você constantemente olha para longe ou para baixo, pode ser um sinal de que sua confiança precisa de um impulso.

Lembre-se, os olhos são as janelas da alma. Deixe seu olhar encontrar os outros com convicção e autoconfiança.

2) Postura caída

Hora da confissão – eu costumava ser um desleixado em série.

Sempre que eu entrava em uma sala, você me encontrava curvado, com os ombros arredondados, tentando ficar o mais pequeno possível. Era como se eu estivesse tentando me misturar ao cenário, para não chamar a atenção para mim.

Mas aqui está a questão.

Sua postura é um comunicador silencioso, mas poderoso. Uma postura caída, assim como a minha antiga, pode sinalizar baixa autoestima. Isso sugere falta de confiança e pode fazer você parecer menos assertivo.

Por outro lado, ficar em pé, com os ombros para trás e a cabeça erguida, comunica confiança e autoconfiança.

Então, da próxima vez que você se pegar curvado, endireite-se! Acredite em mim, isso faz muita diferença.

3) Inquietação

Tudo bem, aqui está outra pepita pessoal. Eu costumava clicar com caneta crônica. Você sabe, aquele hábito irritante de clicar repetidamente em uma caneta quando você está nervoso?

Mas espere, fica mais interessante.

Ficar inquieto não significa apenas irritar seus colegas de classe ou colegas com cliques incessantes da caneta. Na verdade, é um sinal comum de baixa auto-estima. É como se o seu corpo lidasse com o desconforto que surge quando se sente inseguro sobre si mesmo.

Quer seja clicar com a caneta, roer as unhas, bater os pés ou enrolar o cabelo – estes hábitos nervosos podem ser sinais reveladores de baixa auto-estima.

A solução? Tomar consciência desses hábitos é o primeiro passo para eliminá-los. Assim que percebi que o clique da caneta era um sinal de meu próprio desconforto, fiz um esforço consciente para parar. E adivinha? Funcionou!

Então, se você é inquieto, tome nota. Seu corpo pode estar lhe dizendo algo sobre sua auto-estima.

4) Raramente inicia conversas

Você já se pegou esperando que outras pessoas iniciassem uma conversa?

Bem, aqui está uma pequena visão.

Raramente iniciar conversas pode ser outro sinal de baixa autoestima. Pode parecer mais seguro esperar que outros dêem o primeiro passo. Afinal, se você não falar, não pode falar nada de errado, certo?

Mas aqui está a verdade.

As pessoas valorizam quem toma a iniciativa, quem está disposto a quebrar o gelo. Ao esperar sempre que os outros iniciem a conversa, você pode emitir sinais de baixa autoconfiança.

Então, da próxima vez que você estiver em uma situação social, tente assumir a liderança. Você pode se surpreender com o quão bem você lida com isso!

5) Cruzar os braços

Já observou pessoas em um debate acalorado ou em uma situação tensa? Você pode notar um sinal de linguagem corporal comum – braços cruzados.

Cruzar os braços costuma ser percebido como uma postura defensiva. É como se o nosso corpo estabelecesse uma barreira natural entre nós e ameaças potenciais.

Mas aqui está uma reviravolta fascinante.

Pessoas que cruzam os braços com frequência podem apresentar sinais de baixa autoestima. Essa postura fechada pode indicar que estamos desconfortáveis ​​ou inseguros.

Então, da próxima vez que você cruzar os braços, tente relaxar e deixe-os cair naturalmente ao lado do corpo. Pode ajudar a projetar uma postura mais aberta e confiante.

6) Falando suavemente

Certa vez, durante um curso de oratória, meu instrutor me puxou de lado. Ele disse: “Você tem ótimas ideias, mas precisa se manifestar. Sua voz suave está fazendo você parecer menos confiante.”

Fiquei surpresa. Eu nunca tinha percebido que minha natureza de fala mansa poderia ser interpretada como baixa auto-estima.

Mas aqui está o acordo.

Falar suavemente, especialmente em grupos, pode de fato sinalizar baixa autoconfiança. Pode parecer que você não tem certeza de suas ideias ou tem medo de chamar a atenção para si mesmo.

Isso não significa que você precisa gritar para ser ouvido. Mas projetar sua voz e falar com clareza pode transmitir confiança e impor respeito.

Então, se você fala suavemente como eu, lembre-se: sua voz é poderosa. Deixe-se ouvir!

7) Autodepreciação constante

Embora um pouco de humor autodepreciativo possa ser encantador, rebaixar-se constantemente é uma história diferente. Isso, meus amigos, costuma ser um sinal de baixa autoestima.

É como se você estivesse tentando vencer os outros, criticando-se primeiro. Mas, na realidade, isso pode fazer com que você pareça menos confiante e até desconfortável consigo mesmo.

Aqui está a regra de ouro.

Suas palavras têm poder. Trate-se com gentileza e respeito, e os outros farão o mesmo. Lembre-se de que a confiança começa de dentro. Fale positivamente sobre você e isso também se refletirá na sua linguagem corporal.

Pensamentos finais

Se você se viu nesses sinais, lembre-se: a consciência é o primeiro passo para a mudança.

Aqui está o lado positivo – é algo que pode ser melhorado com tempo, paciência e prática.

Comece observando sua própria linguagem corporal. Observe quando você evita o contato visual, abaixa os ombros ou cruza os braços. Preste atenção quando você fala baixo ou se rebaixa.

Então, pratique projetar confiança. Fique em pé, faça contato visual e fale claramente. Trate-se com gentileza e respeito em suas palavras e ações.

Não é uma transformação da noite para o dia. É uma jornada de autodescoberta e auto-aperfeiçoamento.

Talvez Albert Einstein disse melhor: “Uma vez que aceitamos nossos limites, vamos além deles”.

Então, abrace esta jornada com o coração aberto. Comemore seu progresso, não importa quão pequeno seja. E lembre-se: você tem o poder de mudar sua narrativa.

Tudo começa com você. E a jornada em direção aumento da autoestima vale a pena tomar.

Perdeu seu senso de propósito?

Nesta era de sobrecarga de informação e pressão para satisfazer as expectativas dos outros, muitos lutam para se conectarem com o seu propósito e valores fundamentais. É fácil perder a bússola interior.

Jeanette Brown criou este PDF gratuito de descoberta de valores para ajudar a esclarecer suas motivações e crenças mais profundas. Como experiente coach de vida e professora de autoaperfeiçoamento, Jeanette orienta as pessoas em grandes transições, realinhando-as com seus princípios.

Seus exercícios de valores exclusivamente perspicazes iluminarão o que o inspira, o que você representa e como pretende operar. Isso serve como um filtro refrescante para desligar o ruído social, para que você possa fazer escolhas baseadas no que é mais importante para você.

Com seus valores claramente ancorados, você ganhará direção, motivação e bússola para tomar decisões a partir do seu melhor – em vez de emoções passageiras ou influências externas.

Pare de vagar sem propósito. Redescubra o que faz você ganhar vida com o guia de clareza de valores de Jeanette Brown.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.