Crescer com pais excessivamente críticos é uma experiência única e que pode moldar sua vida de maneiras que você nem percebe.

Eu sei – eu estive lá. Você já ouviu críticas constantes sobre tudo, desde sua aparência até suas escolhas, o fluxo contínuo de “você poderia fazer melhor” e o questionamento persistente de suas decisões.

Muitas vezes, nem é tão dramático.

Você lentamente começa a perceber o quanto você se questiona, como está constantemente se esforçando pela perfeição ou como sente um medo profundo de cometer um erro.

Vamos mergulhar nas características que mostram que você foi criado por pais excessivamente críticos, mesmo que você esteja apenas começando a perceber isso.

1) Dúvida constante

Crescendo sob o escrutínio constante de pais excessivamente críticos, você pode descobrir que desenvolveu o hábito de questionar todas as suas decisões.

Nem sempre é grande coisa.

Talvez seja uma questão de escolher uma refeição em um restaurante, decidir o que vestir em um evento social ou escolher um filme para assistir. São essas pequenas escolhas cotidianas que podem ser surpreendentemente difíceis.

Por que? Porque você foi criado em um ambiente onde cada escolha foi questionada, cada decisão analisada em busca de falhas.

Como resultado, você pode acabar enfrentando dúvidas até mesmo nas questões mais triviais. Você foi condicionado a pensar que sempre há uma escolha “certa” a fazer – e o medo de fazer a escolha “errada” pode ser paralisante.

Essa dúvida constante é uma característica comum entre aqueles que cresceram com pais excessivamente críticos e é algo que pode levar tempo e esforço consciente para ser superado.

2) Perfeccionismo ao extremo

Essa dúvida constante muitas vezes se manifesta como uma forma extrema de perfeccionismo.

Eu estive lá, confie em mim.

Você fica obcecado com os mínimos detalhes, tentando tornar tudo absolutamente “perfeito” – porque qualquer coisa menos do que isso parece um fracasso. Um relatório de trabalho, um jantar que você preparou, até mesmo um e-mail casual para um amigo – você gasta uma quantidade excessiva de tempo nessas tarefas, tentando acertá-las.

E não se trata apenas de medo de críticas. É sobre o medo de não corresponder aos padrões impossivelmente elevados que você internalizou de seus pais excessivamente críticos.

A parte triste? Você é o seu crítico mais severo, sempre vendo falhas que os outros não veem. Você está constantemente se esforçando para fazer melhor, ser melhor, mas isso nunca é suficiente. Essa busca incessante pela perfeição é exaustiva e muitas vezes pode levar a sentimentos de inadequação e esgotamento.

3) Dificuldade em aceitar elogios

Por muito tempo não consegui entender por que os elogios me deixavam tão desconfortável.

Quando alguém me elogiava pelo meu trabalho ou pela minha roupa, eu imediatamente minimizava ou ignorava. Um simples “Você foi ótimo!” me enviaria para uma espiral de dúvidas e ansiedade. Eu era realmente bom ou eles estavam apenas sendo legais?

Veja, quando você cresce com pais excessivamente críticos, muitas vezes você sente falta de elogios. Em vez disso, você é alimentado com uma dieta constante de críticas e advertências. Então, quando alguém elogia você genuinamente, parece… estranho. Desconhecido, até.

É como se sua mente não conseguisse processar o feedback positivo porque está acostumada com o negativo. Você se pega questionando a sinceridade do elogio ou, pior, sentindo que não o merece.

Essa dificuldade em aceitar elogios é uma característica comum entre pessoas que cresceram com pais excessivamente críticos. É um sinal revelador de que você ainda carrega as inseguranças e os medos da infância para a vida adulta.

4) Desejo de validação externa

Você sabia que as pessoas que crescem com pais excessivamente críticos muitas vezes desenvolvem um forte desejo por validação externa?

Não o fiz, até que me vi constantemente buscando a aprovação dos outros. Um aceno de concordância de um colega, um like numa publicação nas redes sociais, um comentário elogioso de um amigo – estas pequenas validações tornaram-se a minha tábua de salvação, a minha prova de que estava bem.

Isso ocorre porque, quando crianças, raramente recebíamos a garantia de que éramos bons o suficiente. Nosso valor foi definido por nossas ações e conquistas, não por quem éramos como indivíduos. Como adultos, isso se traduz em uma necessidade incessante de afirmação dos outros.

Ansiamos por essa validação porque ela nos garante que estamos fazendo algo certo, que somos dignos. É um ciclo difícil de quebrar, mas reconhecê-lo é o primeiro passo para superá-lo.

5) Hiperconsciência dos sentimentos dos outros

Navegar pela vida com pais excessivamente críticos muitas vezes nos transforma em especialistas em ler as pessoas. Descobri que estou incrivelmente consciente dos sentimentos das outras pessoas – às vezes antes mesmo que elas próprias percebam.

Ao crescer, você teve que antecipar o humor de seus pais, para evitar críticas ou manter a paz. Você aprendeu a ler sua linguagem corporal, seu tom de voz, suas expressões – tudo na tentativa de adaptar seu comportamento de acordo.

Na idade adulta, essa hiperconsciência pode parecer uma bênção e uma maldição. Por um lado, torna você empático e compreensivo. Muitas vezes você é aquele a quem seus amigos recorrem quando estão chateados porque você simplesmente os ‘pega’.

Mas, por outro lado, pode ser exaustivo. Você está constantemente absorvendo as emoções das pessoas, constantemente tentando agradar a todos. É uma característica profundamente enraizada em você desde a infância e é algo que pode levar algum tempo para desaprender.

6) Medo do confronto

O confronto é desconfortável para a maioria das pessoas, mas para aqueles de nós que crescemos com pais excessivamente críticos, pode ser totalmente assustador.

Lembro-me de como, quando criança, qualquer forma de desentendimento com meus pais gerava uma enxurrada de críticas. Então aprendi a manter a boca fechada, a concordar mesmo quando não concordava, a evitar qualquer forma de conflito a todo custo.

Esse medo do confronto não desaparece simplesmente à medida que envelhecemos. Ele também acompanha você em seus relacionamentos adultos. Você pode acabar se esforçando para evitar discussões, mesmo que isso signifique suprimir seus próprios sentimentos e necessidades.

Mas deixe-me dizer, não há problema em expressar suas opiniões, em se defender. Não há problema em discordar. O confronto faz parte da vida e nem sempre precisa ser negativo ou destrutivo. É uma lição que temos que aprender e desaprender ao longo do tempo.

7) Altos níveis de ansiedade

Viver sob constantes críticas pode prejudicar sua saúde mental. Eu experimentei isso em primeira mão.

Você pode se encontrar lidar com altos níveis de ansiedade. Não se trata apenas de ficar nervoso antes de uma grande apresentação ou de uma entrevista de emprego – trata-se de sentir-se ansioso em relação às situações do dia a dia.

Pode ser medo de cometer erros, medo de decepcionar os outros ou até medo de ser você mesmo. Essa ansiedade pode estar tão arraigada que você pode nem perceber que existe, apenas se torna parte de quem você é.

Crescer com pais excessivamente críticos significa que você estava constantemente sob pressão para ter um bom desempenho, atender às expectativas e cumprir padrões que muitas vezes eram inatingíveis. Essa pressão não desaparece apenas à medida que você envelhece; ela se manifesta como uma ansiedade que pode se infiltrar em todos os aspectos da sua vida.

8) Lutando com a autoestima

No cerne de todas essas características está um fio condutor – uma luta com a autoestima. Posso te dizer, é uma das batalhas mais difíceis de travar.

Quando você cresce com pais excessivamente críticos, muitas vezes você sente que seu valor é condicional. Depende de suas realizações ou de sua capacidade de atender às expectativas deles. Isso pode levar a uma crença internalizada de que você não é inerentemente valioso ou amável.

Essa luta com a autoestima pode se infiltrar em todas as áreas da sua vida – relacionamentos, carreira, crescimento pessoal. Você pode acabar se contentando com menos do que merece ou afastando as pessoas porque, no fundo, não acredita que seja digno do amor ou respeito delas.

Mas deixe-me dizer, isso não poderia estar mais longe da verdade. Seu valor é inerente. Não é definido pelo que você faz ou quão bem você faz. É sobre quem você é como pessoa.

E se você cresceu com pais excessivamente críticos, reconhecer que este é provavelmente o passo mais importante e desafiador na sua jornada rumo à cura.

Abraçando sua jornada

Se você percebeu que concordava com essas características, entenda que não está sozinho. Muitos de nós que crescemos com pais excessivamente críticos carregamos essas características até a idade adulta. Mas reconhecê-los é o primeiro passo para a mudança.

O caminho para a cura não é fácil, mas vale cada passo. Tudo começa reconhecendo suas experiências e validando seus sentimentos. Trata-se de aprender a separar a voz da crítica da sua voz interior e compreender que o seu valor não é definido pelas expectativas dos outros.

Nisso jornada de autodescoberta e cura, lembre-se: o progresso pode ser lento, mas ainda é um progresso. Seja paciente e gentil consigo mesmo. E o mais importante, acredite na sua capacidade de crescer e se transformar.

Afinal, você não é o que aconteceu com você. Você é o que você escolhe se tornar.

Perdeu seu senso de propósito?

Nesta era de sobrecarga de informação e pressão para satisfazer as expectativas dos outros, muitos lutam para se conectarem com o seu propósito e valores fundamentais. É fácil perder a bússola interior.

Jeanette Brown criou este PDF gratuito de descoberta de valores para ajudar a esclarecer suas motivações e crenças mais profundas. Como experiente coach de vida e professora de autoaperfeiçoamento, Jeanette orienta as pessoas em grandes transições, realinhando-as com seus princípios.

Seus exercícios de valores exclusivamente perspicazes iluminarão o que o inspira, o que você representa e como pretende operar. Isso serve como um filtro refrescante para desligar o ruído social, para que você possa fazer escolhas baseadas no que é mais importante para você.

Com seus valores claramente ancorados, você ganhará direção, motivação e bússola para tomar decisões a partir do seu melhor – em vez de emoções passageiras ou influências externas.

Pare de vagar sem propósito. Redescubra o que faz você ganhar vida com o guia de clareza de valores de Jeanette Brown.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.