Há uma diferença marcante entre as pessoas que são perpetuamente felizes e as que não o são. Tudo se resume a hábitos.

Pessoas felizes têm certos hábitos que as ajudam a navegar pelos altos e baixos da vida com graça e positividade. Eles não apenas sentam e esperam pelo melhor; eles avançam ativamente, abraçando a mudança com um sorriso.

Agora, sou Lachlan Brown, o fundador do Hack Spirit, e passei bastante tempo estudando a felicidade do ponto de vista da atenção plena e do budismo. E o que aprendi é que qualquer pessoa pode adotar esses hábitos para ter uma vida mais feliz.

Neste artigo, exploraremos os 8 hábitos desses indivíduos felizes e progressistas. Continue lendo e você poderá encontrar seu próprio roteiro para a felicidade.

1) Abrace a mudança

Num mundo em constante evolução, pessoas felizes são aquelas que conseguem se adaptar e evoluir com ele.

A mudança não é algo a temer ou resistir para essas pessoas. Em vez disso, é uma oportunidade emocionante – uma oportunidade de aprender, crescer e experimentar algo novo.

O Budismo nos ensina o conceito de impermanência – que tudo está em constante mudança e nada permanece igual. E é nesta aceitação e compreensão da mudança que podemos verdadeiramente encontrar a felicidade.

Quantas vezes você se apegou a velhos hábitos, situações ou relacionamentos, apesar de saber que eles não lhe servem mais? É uma tendência humana comum, mas não que leva à felicidade ou ao progresso.

Seguir em frente na vida significa abraçar a mudança, não se esquivar dela. Quanto mais confortável você se sentir com a ideia de mudança, mais feliz e resiliente você será quando enfrentar os inevitáveis ​​altos e baixos da vida.

Não são os mais fortes ou mais inteligentes que sobrevivem, mas aqueles que melhor conseguem gerir as mudanças. E pessoas felizes dominaram esta arte.

2) Pratique a atenção plena

Mindfulness é o hábito de estar presente, consciente e engajado no momento. Trata-se de valorizar o aqui e agora sem se deixar levar por preocupações com o passado ou o futuro.

Como alguém que dedicou grande parte da minha vida ao estudo e à prática da atenção plena, posso dizer que isso muda o jogo. Traz uma profunda sensação de paz e contentamento que pode ajudá-lo a enfrentar os desafios da vida com graça e positividade.

Thich Nhat Hanh, um renomado monge budista vietnamita, disse certa vez: “O momento presente está repleto de alegria e felicidade. Se você estiver atento, você verá.”

E ele não poderia estar mais certo. Quando estamos verdadeiramente presentes no momento, vemos a beleza da vida que muitas vezes ignoramos. Ficamos mais gratos, mais agradecidos e, sim, mais felizes.

Se você quer ser uma pessoa feliz e que sempre avança na vida, comece a praticar a atenção plena. Seja por meio de meditação, ioga ou simplesmente reservando alguns momentos todos os dias para respirar e estar presente, faça da atenção plena uma parte de sua rotina diária.

3) Aceite o sofrimento

A vida nem sempre é sol e rosas. Há momentos em que todos enfrentamos sofrimento e dificuldades. No entanto, a forma como reagimos a estes desafios pode ter um impacto significativo na nossa felicidade e progresso na vida.

O Budismo ensina o conceito de ‘Dukkha’, muitas vezes traduzido como sofrimento. Mas não se trata de resignar-se a uma vida de dor. Em vez disso, é um reconhecimento de que o sofrimento faz parte da vida e, através da aceitação, podemos aliviá-lo.

Veja, muito do nosso sofrimento vem da resistência – de desejar que as coisas fossem diferentes, de lutar contra a realidade do que é. Quando aceitamos que o sofrimento faz parte da vida, deixamos de resistir e começamos a encontrar a paz.

Não é fácil. É cru e honesto e às vezes muito difícil. Mas também é libertador. Porque quando você consegue olhar a vida de forma realista, quando consegue aceitar o que é bom e o que é ruim como parte da jornada, você se liberta da luta constante pela perfeição. Você abre espaço para a felicidade genuína.

Aceitação não significa desistir. Trata-se de encarar a realidade de frente, com coragem e graça. É um dos principais hábitos que as pessoas felizes que sempre avançam na vida dominaram.

4) Viva intencionalmente

Em um mundo que muitas vezes parece estar funcionando no piloto automático, é fácil ser pego pela agitação sem nunca considerar realmente o que estamos fazendo ou por quê. Mas este é um caminho que raramente leva à verdadeira felicidade ou ao progresso.

A atenção plena nos ensina a viver intencionalmente – a fazer escolhas conscientes sobre como gastamos nosso tempo, com quem o gastamos e quais objetivos perseguimos.

Viver intencionalmente significa tomar decisões que se alinhem com os nossos valores e contribuam para o nosso bem-estar geral. Significa escolher ações que nos conduzam à vida que desejamos, em vez de simplesmente reagir a tudo o que a vida nos lança.

Não se trata de ter um plano ou cronograma rígido. Trata-se de estar presente em cada momento e fazer escolhas conscientes com base no que é melhor para nós naquele momento.

Envolve dizer não às coisas que não nos servem e sim às coisas que nos assustam. Mas o resultado é uma vida vivida nos nossos próprios termos – uma vida que traz felicidade genuína e impulso constante para a frente.

Se você quer ser uma pessoa feliz e que sempre avança na vida, comece a viver intencionalmente. Tome decisões conscientes. Esteja presente em cada momento. Abrace o poder da vida consciente.

5) Cultive a compaixão

A compaixão é uma força poderosa. É a capacidade de ter empatia pelos outros, de compreender sua dor e de querer genuinamente aliviá-la.

Tendo passado grande parte da minha vida estudando o budismo e a atenção plena, descobri que a compaixão não é benéfica apenas para as pessoas com quem você demonstra bondade – também é incrivelmente benéfica para você.

No meu livro, Segredos ocultos do budismo: como viver com impacto máximo e ego mínimoaprofundo como cultivar a compaixão pode levar a uma vida mais plena e feliz.

Quando demonstramos compaixão, lembramo-nos da nossa interligação com o mundo que nos rodeia. Reconhecemos que todos têm as suas lutas e esta compreensão pode fazer com que os nossos próprios problemas pareçam menos esmagadores.

Pessoas felizes que estão constantemente avançando entendem isso. Eles priorizam a compaixão não apenas como um dever moral, mas como um caminho para a sua própria felicidade e bem-estar.

Cultive a compaixão – nos seus relacionamentos, no seu trabalho e, o mais importante, consigo mesmo. Quanto mais compassivo você for, mais feliz e mais progressista você será.

6) Abandone os apegos

Um dos ensinamentos fundamentais do Budismo é a sabedoria de abandonar os apegos. Isso não significa que você não deva se preocupar com nada nem com ninguém. Trata-se de compreender que o apego excessivo a coisas ou pessoas pode levar ao sofrimento.

Em nossas vidas, muitas vezes nos apegamos a bens materiais, relacionamentos e até mesmo à nossa própria imagem. Embora não haja nada de errado em aproveitar essas coisas, o problema surge quando construímos nossa felicidade exclusivamente em torno delas.

A verdade crua e honesta é que tudo na vida é transitório. Os relacionamentos terminam, as posses desaparecem e nossa autoimagem evolui. Quando vinculamos nossa felicidade a essas coisas impermanentes, nos preparamos para a decepção e o sofrimento.

Indivíduos atentos e consistentemente felizes entenderam isso. Eles aproveitam os prazeres da vida sem se apegarem excessivamente a eles. Eles entendem que a verdadeira felicidade vem de dentro e não depende de circunstâncias externas.

Pratique o desapego. Abrace a natureza impermanente da vida e encontre sua alegria interior. É uma jornada desafiadora, mas que o levará à felicidade genuína e ao progresso contínuo na vida.

7) Pratique a gratidão

A gratidão é uma ferramenta poderosa para a felicidade. Trata-se de reconhecer o que há de bom em sua vida, não importa quão pequeno ou aparentemente insignificante.

A verdade crua e honesta é que é fácil nos concentrarmos no que há de errado em nossas vidas. Muitas vezes somos rápidos em reclamar, mas lentos em apreciar. Mas esta mentalidade só gera negatividade e insatisfação.

O monge budista e ativista pacifista Thich Nhat Hanh disse certa vez: “Ande como se estivesse beijando a Terra com os pés”. Isso encapsula lindamente o espírito de gratidão – apreciar a simples alegria de estar vivo e presente.

Indivíduos felizes e progressistas costumam praticar a gratidão. Eles reconhecem o que há de bom em suas vidas, e esse reconhecimento positivo os impulsiona a seguir em frente, mesmo em tempos difíceis.

Comece a cultivar a gratidão. Pode ser tão simples como agradecer a alguém pela gentileza, agradecer um lindo nascer do sol ou apreciar uma refeição deliciosa. Quanto mais você praticar a gratidão, mais perceberá que sempre há algo pelo que agradecer.

8) Abrace a quietude

Num mundo que glorifica a ocupação, isto pode parecer contra-intuitivo: pessoas felizes que estão sempre avançando sabem o valor da quietude.

A atenção plena nos ensina que há poder na quietude – em reservar um momento para simplesmente estar. Não se trata de ser ocioso ou preguiçoso; trata-se de criar espaço para reflexão e autoconsciência.

Na correria da vida, muitas vezes esquecemos de fazer uma pausa e verificar com nós mesmos. Mas esses momentos de silêncio podem fornecer informações valiosas sobre nossos pensamentos, emoções e desejos.

Indivíduos felizes entendem isso. Eles regularmente reservam tempo para a quietude, para a atenção plena. Eles meditam, praticam ioga ou simplesmente ficam sentados em silêncio por alguns momentos todos os dias.

Esses momentos de quietude permitem-lhes recarregar, reorientar e seguir em frente com maior clareza e propósito.

Por mais que possa parecer, se você quiser seguir em frente, lembre-se de abraçar a quietude. Não é tempo perdido; é um investimento em sua felicidade e progresso.

Conclusão

Felicidade e progresso não têm a ver apenas com o que a vida traz ao seu caminho. São sobre os hábitos que você cultiva, a mentalidade que você adota e as escolhas que você faz todos os dias.

Cada um dos hábitos que discutimos pode ajudá-lo a viver uma vida mais feliz e próspera. Nem sempre são fáceis de desenvolver, mas o esforço vale a pena.

Se você tem interesse em se aprofundar nessas práticas e entender como elas podem transformar sua vida, te convido a dar uma olhada no meu livro Segredos ocultos do budismo: como viver com impacto máximo e ego mínimo.

A jornada em direção à felicidade e ao progresso é pessoal. Portanto, pegue esses hábitos, adapte-os à sua vida e veja aonde eles o levam. Um brinde à sua felicidade e ao movimento contínuo para frente.

Você gostou do meu artigo? Curta-me no Facebook para ver mais artigos como este em seu feed.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.