Por mais que doa admitir isso, todos nós temos momentos de dúvida.

Eu sei o que faço. Passei inúmeras noites pensando demais e questionando meu valor e minhas habilidades. Todos nós já estivemos lá.

Mas e se esses momentos não forem apenas momentos?

E se você, sem saber, irradiar uma aura de insegurança, mesmo quando estiver se sentindo bem consigo mesmo?

Nem sempre é tão óbvio quanto roer as unhas ou buscar aprovação constantemente. Às vezes, são as pequenas coisas que nos denunciam.

Neste artigo, vou abrir a cortina para esses 8 sinais sutis que podem indicar que você está emitindo uma vibração insegura, mesmo sem perceber.

Então, vamos mergulhar e lançar alguma luz sobre esses sinais tácitos.

1) Você está constantemente se desculpando

Sou totalmente a favor de assumir a responsabilidade quando erramos.

Isso faz parte de ser adulto, não é?

Mas o que acontece quando “sinto muito” se torna seu bordão?

Quando você se pega pedindo desculpas por coisas que nem são culpa sua, ou, pior, por simplesmente existir?

Este é um daqueles sinais sutis que podem passar despercebidos. É tão insidioso porque está envolto em uma aparência de educação e humildade.

Mas pedir desculpas excessivas pode indicar medo de rejeição ou necessidade de evitar conflitos a todo custo.

É como se você estivesse constantemente tentando suavizar as coisas antes mesmo que elas fiquem bagunçadas.

A verdade é que você não precisa se desculpar por ocupar espaço ou por ter opiniões.

2) Você está sempre buscando aprovação

Eu serei honesto.

Houve momentos em que procurei validação em outras pessoas.

Nós todos temos. É humano querer ser querido e admirado. Mas quando se torna uma necessidade constante, pode ser um sinal de insegurança.

Você está se sentindo preso neste ciclo interminável de necessidade de garantia de que está indo bem, de que é bom o suficiente, de que não está errando.

E é cansativo, não é?

Você pode acabar verificando constantemente se as pessoas estão chateadas com você ou se estão lendo demais suas palavras.

Você pode ter a sensação inabalável de que as pessoas estão constantemente julgando você e de que você precisa provar seu valor para elas.

Mas o problema é o seguinte: seu valor não é determinado pela forma como os outros o percebem.

É algo inerente, algo que não oscila com o fluxo e refluxo das opiniões dos outros.

Já é hora de começarmos a internalizar isso.

3) Você evita elogios

Lembro-me de uma ocasião em que um amigo me elogiou por uma apresentação que eu havia feito.

Em vez de agradecer, imediatamente minimizei meu esforço, dizendo algo como: “Ah, não foi nada. Eu poderia ter feito melhor.”

Isso soa familiar?

É como se houvesse uma voz em nossas cabeças que simplesmente não consegue aceitar que fizemos algo bem.

Rejeitamos os elogios como se fossem moscas nos incomodando em um piquenique.

Redirecionamos a conversa ou pior, começamos a apontar nossas falhas. Talvez nos sintamos incomodados com a ideia de sermos elogiados como se não merecessemos.

Essa relutância em aceitar elogios graciosamente costuma ser um sinal sutil de insegurança.

Parece que estamos tão acostumados a nos criticar que qualquer feedback positivo parece estranho.

Aqui está o que você deve dizer a si mesmo: “Não há problema em sentir orgulho de nossas realizações. Não há problema em aceitar esse elogio com um simples “obrigado”.

4) Você tem dificuldade em tomar decisões

Já passou uma hora decidindo o que pedir em um restaurante?

Ou talvez você tenha se encontrado em uma loja de roupas, sem conseguir escolher entre duas camisas, e acabou comprando nenhuma delas.

Isso pode parecer benigno, mas na verdade está enraizado no medo de fazer a escolha errada.

Assemelha-se à sensação de estar preso neste paralisia da análisepesando constantemente os prós e os contras, mas nunca sendo capaz de tomar uma decisão.

E não se trata apenas de escolher uma refeição ou uma camisa.

Também se estende a decisões maiores na vida.

O medo de fazer a escolha errada pode ser tão avassalador que você prefere não fazer nenhuma escolha.

Essa incapacidade de tomar decisões também é um sintoma não sutil de insegurança.

É como se você não confiasse em si mesmo o suficiente para tomar decisões, e vale a pena prestar atenção nisso.

5) Você agrada as pessoas

Você já concordou em fazer algo que realmente não queria, apenas para evitar decepcionar alguém?

Ou talvez você tenha dito sim a um evento social ao qual não queria comparecer simplesmente porque não queria incomodar seu amigo.

Este é um comportamento clássico que agrada às pessoas.

É quando você coloca as necessidades e desejos das outras pessoas antes dos seus, muitas vezes às custas da sua própria felicidade e bem-estar.

Você pode pensar que está sendo altruísta ou complacente, mas o que isso realmente indica é um medo subjacente de conflito ou rejeição.

É como se você estivesse pisando em ovos, tentando deixar todos felizes para que continuem gostando e aceitando você.

Mas curvar-se pelos outros e negligenciar suas próprias necessidades não é saudável.

Pode ser uma indicação sutil de que você está lidando com insegurança.

É crucial lembrar que não há problema em coloque-se em primeiro lugar às vezes.

6) Você é excessivamente defensivo

Você já se pegou ficando irritado com um pequeno comentário?

Ou talvez você tenha passado por uma situação em que alguém lhe fez uma crítica construtiva e você interpretou isso como um ataque pessoal.

Isso é algo contra o qual lutei no passado.

É como se você estivesse constantemente em guarda, sempre pronto para se defender, mesmo quando não há uma ameaça real.

Ser excessivamente defensivo pode ser um sinal de que você está inseguro.

É como se você tivesse tanto medo de estar errado ou ter falhas que qualquer sugestão de crítica parece um ataque ao seu próprio valor.

Mas lembre-se: as críticas nem sempre são pessoais.

E mesmo quando é, não define o seu valor.

Você é mais do que os erros que comete ou as falhas que tem.

Todos nós somos.

7) Você constantemente se compara aos outros

Lembro-me de me encontrar navegando nas redes sociais, olhando a vida de outra pessoa e sentindo uma pontada de inveja.

Eles pareciam ter tudo sob controle – o emprego perfeito, o relacionamento perfeito, a vida perfeita.

Este jogo de comparação é uma ladeira escorregadia.

Claro, é da natureza humana nos compararmos com os outros até certo ponto. Mas quando se torna um hábito constante, pode ser um sinal de insegurança.

É como se você estivesse constantemente medindo seu valor em relação às realizações ou ao estilo de vida de outra pessoa.

E convenhamos, essa é uma comparação injusta porque a vida de ninguém é tão perfeita quanto parece nas redes sociais.

Essa necessidade constante de comparação muitas vezes pode indicar que você não está se sentindo seguro consigo mesmo.

É importante lembrar que sua jornada é única e não há problema em não ter tudo planejado.

Todos estão travando suas próprias batalhas, mesmo que não sejam visíveis do lado de fora.

8) Você tem uma conversa interna negativa

Aqui está algo que aprendi: a maneira como falamos conosco é mais importante do que pensamos.

É como se houvesse uma vozinha em nossas cabeças, narrando constantemente nossas vidas.

Mas o que acontece quando essa voz se torna o nosso crítico mais severo?

Se você constantemente menospreza suas conquistas, amplia seus erros ou questiona seu valor, isso pode ser um sinal de insegurança.

É a mesma coisa que você internalizou todas as críticas que já recebeu e as reproduziu em sua cabeça.

A verdade é que muitas vezes somos mais duros conosco mesmos do que qualquer outra pessoa poderia ser.

Este ciclo constante de diálogo interno negativo pode ser prejudicial e muitas vezes é um indicador sutil de insegurança.

É crucial começarmos a ser mais gentis conosco mesmos.

Lembre-se, você é humano e não há problema em ter falhas e cometer erros. É assim que aprendemos e crescemos.

Reflexões finais

Reconhecer suas próprias inseguranças pode ser uma pílula difícil de engolir.

Se você se pegou balançando a cabeça enquanto lia esses sinais, estar atento que a autoconsciência é o primeiro passo para a mudança.

A insegurança não é uma sentença de prisão perpétua.

É simplesmente uma parte da experiência humana.

Porém, é importante saber que esses sentimentos não definem o seu valor.

Afinal, estamos todos em obras.

E cada passo que damos em direção ao autoaperfeiçoamento, por menor que seja, é um passo na direção certa.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.