Introvertidos e extrovertidos são tão diferentes quanto giz e queijo.

Para um introvertido, navegar pelo mundo às vezes pode ser como correr uma maratona. Não é que não gostemos de socializar, é apenas a forma como recarregamos as energias é diferente.

A psicologia esclarece por que certas coisas nos cansam mais do que nossos colegas extrovertidos.

Neste artigo, revelarei 9 coisas que são particularmente desgastantes para nós, introvertidos, de acordo com a psicologia.

Com compreensão, talvez todos possamos tornar o mundo um pouco menos cansativo para os outros.

1) Reuniões sociais

A psicologia nos diz que os introvertidos não são antissociais, são seletivamente sociais.

Embora os extrovertidos possam prosperar em reuniões sociais grandes e movimentadas, os introvertidos muitas vezes acham essas situações desgastantes. Não é que não gostemos de companhia, apenas a preferimos em doses menores.

Para nós, estar rodeado por uma grande multidão pode ser opressor. Demasiada estimulação social pode levar rapidamente à exaustão, obrigando-nos a recuar e recarregar as energias na solidão.

Isso não significa que não gostamos de pessoas ou festas. Precisamos apenas de equilíbrio e tempo para nos recuperarmos após os eventos sociais.

Não se ofenda se recusarmos um convite ou sairmos mais cedo. Não é você, somos nós, e estamos apenas tentando cuidar de nossos níveis de energia mental.

Ao lidar com um introvertido, a qualidade em vez da quantidade é a chave da nossa energia social.

2) Conversa fiada

Falando por experiência própria, posso dizer que conversa fiada é outra coisa que pode ser excepcionalmente cansativa para os introvertidos.

Deixe-me pintar uma foto. Imagine estar em um evento de networking, cercado por estranhos. A sala vibra com conversa fiada. Os tópicos variam do clima aos planos para o fim de semana, e espera-se que você participe com entusiasmo.

Para um extrovertido, isso pode ser agradável. Mas, como introvertido, acho isso exaustivo. Não é que eu não me importe com o tempo ou com o que alguém fez no fim de semana, é só que essas conversas superficiais parecem desgastantes e muitas vezes falsas.

Nós, introvertidos, prosperamos em conversas profundas e significativas. Estamos interessados ​​em compreender as pessoas, seus pensamentos, seus sentimentos, suas experiências. A conversa fiada não permite essa profundidade, por isso muitas vezes a consideramos frustrantemente superficial.

Ao conversar com um introvertido, considere pular a conversa fiada e mergulhar em algo mais substancial. Você pode se surpreender ao ver como a conversa se torna muito mais envolvente e agradável.

3) Estar constantemente disponível

Em nosso mundo hiperconectado, esperamos estar disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana. Mas para os introvertidos, essa conectividade constante pode ser um verdadeiro dreno de energia.

Estudos psicológicos revelam que os introvertidos costumam ter maior sensibilidade à dopamina, um neurotransmissor que ajuda a controlar os centros de recompensa e prazer do cérebro. Isso significa que, embora os extrovertidos possam prosperar com o burburinho constante das notificações nas redes sociais e das mensagens de texto, os introvertidos podem achar isso opressor.

Para nós, a solidão não é um luxo, é uma necessidade. Precisamos de um tempo longe da conversa constante do mundo digital para recarregar as nossas baterias mentais.

Se você notar que um amigo ou colega introvertido fica frequentemente “offline”, não leve isso para o lado pessoal. É apenas a maneira deles de manter a energia mental e restaurar o equilíbrio.

4) Planos de escritório aberto

A tendência moderna de planos de escritórios abertos pode ser um pesadelo para os introvertidos.

Embora sejam projetados para incentivar a colaboração e a comunicação, para um introvertido, eles podem parecer um campo minado de distrações. O constante burburinho de atividades, barulho e pessoas pode dificultar nosso foco e sermos produtivos.

Os introvertidos geralmente funcionam melhor em ambientes silenciosos e solitários, onde podem se concentrar e aprofundar seus pensamentos sem interrupção. Estar constantemente exposto à agitação de um escritório aberto pode ser mentalmente desgastante.

Se você vir um colega de trabalho introvertido com fones de ouvido ou procurando um canto mais tranquilo, entenda que provavelmente ele não está sendo anti-social. Eles estão apenas tentando criar um mini santuário em meio ao caos para se concentrarem e fazerem seu melhor trabalho.

5) Atenção inesperada

Os introvertidos podem ser ótimos oradores, artistas e líderes. Porém, geralmente gostamos de estar preparados e saber o que está por vir. Atenção inesperada ou ser colocado em uma situação difícil pode nos deixar desconfortáveis.

Imagine estar em uma reunião e de repente ser solicitado a compartilhar seus pensamentos ou apresentar uma ideia sem aviso prévio. Para nós, introvertidos, esses cenários podem ser estressantes e mentalmente desgastantes.

Preferimos ter tempo para organizar nossos pensamentos, planejar e nos preparar. Valorizamos a deliberação cuidadosa em vez do gracejo improvisado. Isso não significa que não possamos pensar por conta própria, mas se tivermos escolha, preferiremos não ser surpreendidos com atenção inesperada.

Se você está trabalhando ou morando com um introvertido, avisá-lo sobre o que é esperado pode ajudar muito a ajudá-lo a ter o melhor desempenho e a se sentir confortável.

6) Mal-entendidos e estereótipos

Introversão não é o mesmo que ser tímido, anti-social ou hostil. No entanto, esses são equívocos comuns que nós, introvertidos, frequentemente enfrentamos.

Ser mal compreendido pode ser doloroso e emocionalmente desgastante. Constantemente temos que explicar nossa necessidade de passar algum tempo sozinhos ou nossa preferência por ambientes mais silenciosos. Não é que não gostemos da companhia dos outros, apenas vivenciamos a energia social de uma forma diferente.

Gostaríamos que as pessoas entendessem que ser introvertido não é uma falha que precisa ser corrigida. É simplesmente uma parte de quem somos. E assim como todo mundo, tudo o que buscamos é aceitação e compreensão.

A diversidade de personalidades torna o mundo mais colorido e equilibrado. Então, vamos nos esforçar para nos entendermos melhor e respeitarmos nossas formas únicas de navegar pelo mundo.

7) Eventos de networking

Os eventos de networking são frequentemente vistos como uma parte necessária da vida profissional. Mas para um introvertido como eu, eles podem parecer mais um campo de batalha do que uma experiência benéfica.

A perspectiva de me apresentar a uma sala cheia de estranhos, iniciar conversas e tentar fazer conexões significativas em um curto espaço de tempo é assustadora. É como ser jogado no fundo do poço sem colete salva-vidas.

Não é que eu não valorize fazer conexões ou aprender com os outros. Na verdade, gosto profundamente de formar relacionamentos genuínos e de participar de diálogos significativos. Acontece que o ambiente de alta velocidade e alta pressão dos eventos de networking pode ser muito desgastante.

Eu encontrei maneiras de me adaptar, no entanto. Costumo planejar com antecedência, ter algumas conversas prontas e fazer pequenas pausas quando necessário. Mas, apesar destas estratégias, os eventos de networking continuam a ser um dos aspectos mais desgastantes da minha vida profissional.

8) Falta de espaço pessoal

O espaço pessoal é importante para todos, mas para os introvertidos é absolutamente essencial.

Nós, introvertidos, muitas vezes precisamos de um santuário onde possamos nos retirar e recarregar nossas baterias mentais. Quer seja um recanto sossegado da casa, um jardim tranquilo, ou mesmo apenas um recanto privado com um bom livro, estes espaços são vitais para nós.

Ter nosso espaço pessoal invadido ou não ter acesso a tal espaço pode ser muito estressante. É como ser um telefone com bateria fraca e sem carregador à vista.

Se você mora ou trabalha com um introvertido, respeitar sua necessidade de espaço pessoal pode fazer uma grande diferença em seu conforto e bem-estar geral. Eles apreciarão sua compreensão mais do que você imagina.

9) Fingir ser extrovertido

O mundo muitas vezes parece projetado para extrovertidos, com seu amor pela socialização e pela prosperidade em ambientes movimentados. Isso pode levar os introvertidos a colocar uma “máscara extrovertida” para se adaptarem.

Mas fingir ser algo que não somos é exaustivo. É como usar um par de sapatos que não cabem – não importa o quão elegantes sejam, eles machucam a cada passo.

A coisa mais importante a lembrar é que ser introvertido não é algo para se envergonhar ou que precise mudar. É apenas uma maneira diferente de interagir com o mundo. E está tudo bem.

Abraçando a força silenciosa

As complexidades da natureza e da personalidade humanas são fascinantes. A divergência entre extrovertidos e introvertidos é um aspecto que acrescenta riqueza ao nosso tecido social.

Compreender a introversão não consiste apenas em identificar o que nos esgota, mas também em reconhecer nossos pontos fortes únicos. Como introvertidos, podemos achar certos aspectos da vida desgastantes, mas também temos habilidades incríveis para observar, refletir e compreender em um nível mais profundo.

Como Susan Cain, autora de “Silêncio: o poder dos introvertidos em um mundo que não consegue parar de falar”, diz com razão: “Não há correlação entre ser o melhor falador e ter as melhores ideias”.

É importante lembrar que ser introvertido não é um obstáculo a ser superado. É uma forma diferente de vivenciar o mundo, uma força tranquila que deve ser abraçada.

Portanto, se você se identifica como introvertido, não sinta necessidade de se conformar a uma norma extrovertida. Honre suas características introvertidas, mantenha seu equilíbrio energético e lembre-se: não há problema em recuar, recarregar as energias e deleitar-se em sua própria companhia. Não está apenas tudo bem, é o seu superpoder.

Você gostou do meu artigo? Curta-me no Facebook para ver mais artigos como este em seu feed.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.