Já conheceu uma mulher que parece ter tudo planejado? Como se ela entrasse em uma sala e você pudesse praticamente sentir sua confiança e independência a um quilômetro de distância. É bastante impressionante, certo? Você pode até pensar que ela tem uma fórmula secreta para ser imparável.

Mas aqui está o furo: algumas mulheres que parecem extremamente independentes e bem-sucedidas são, na verdade, muito inseguras por trás de tudo isso.

As inseguranças não são um sinal de fraqueza; eles são apenas parte do ser humano. Mas se você está procurando um modelo ou simplesmente se perguntando como apoiar as mulheres independentes em sua vida, é fundamental distinguir entre a verdadeira independência e aquelas que mascaram inseguranças.

Como alguém que se esforça para ser uma mulher independente e bem-sucedida, tenho anotado mulheres extremamente independentes e percebi algo interessante. Embora pareçam autossuficientes, muitos deles mostram sinais de que estão lidando com inseguranças ocultas

Hoje, estou mergulhando em seus comportamentos, para lançar alguma luz sobre toda essa coisa de ser forte por fora, mas às vezes inseguro por dentro. Quer você se identifique totalmente ou esteja curioso para entender melhor as mulheres independentes em sua vida, estamos prestes a espiar por trás da cortina.

Vamos entrar no assunto e ver se alguma dessas coisas parece familiar para você ou para alguém que você conhece.

1) Eles lutam para pedir ajuda

Imagine isto: você está trabalhando com uma mulher que personifica a independência. É como se ela pudesse fazer qualquer coisa. Ela é a pessoa certa para soluções, sempre pronta para enfrentar o próximo grande acontecimento.

Mas então algo super simples a confunde.

Quando é ela quem precisa, ela não consegue pedir ajuda. É como se ela estivesse paralisada. Ela prefere lutar sozinha do que apenas pedir ajuda a alguém, mesmo ajudando todos ao seu redor.

Isso soa familiar? Talvez isso descreva você perfeitamente. Ou talvez faça você pensar em uma mulher poderosa em sua vida.

Existem muitas razões diferentes pelas quais uma mulher pode ter dificuldade em pedir ajuda, talvez ela esteja contra-dependente ou talvez ela esteja medo de ser rejeitado. Ela pode até estar preocupada em ser julgada. Todas essas coisas decorrem de alguma insegurança subjacente.

Quando uma mulher extremamente independente não consegue pedir ajuda, é um sinal revelador de que ela está lutando silenciosamente contra algumas inseguranças. Por que não mostrar-lhe algum apoio e deixá-la saber que é seguro pedir ajuda de vez em quando?

2) Eles buscam a perfeição em tudo que fazem

Outra coisa sobre essas mulheres superindependentes é que elas querem muito fazer tudo certo, o tempo todo. É como se eles estivessem sempre buscando 100% de perfeição em tudo o que fazem, seja no trabalho, em casa ou até mesmo planejando uma saída à noite.

Mas aqui está o chute: esse desejo de acertar tudo com perfeição não se trata apenas de querer fazer um bom trabalho. É mais sobre não querer bagunçar e se sentir julgado por isso.

Escritor de psicologia Sophie McBain resume muito bem quando ela diz: “Os perfeccionistas são defensivos e inseguros, prejudicados pelo medo do fracasso e pela incapacidade de comemorar seus sucessos”.

Eles têm medo de fracassar e não sabem como se elogiar pelas vitórias que conquistaram.

Se você conhece uma mulher autossuficiente que sempre faz de tudo para garantir que tudo esteja bem, pode ser um sinal de que ela está lidando com algumas inseguranças.

3) Eles tentam controlar todas as áreas de suas vidas

Ser independente é uma coisa, e ser obcecado em controlar tudo é um jogo totalmente diferente. Você conhece uma mulher assim? É como se eles tivessem que microgerenciar cada detalhe da vida, desde as grandes decisões até as menores tarefas.

Não se trata apenas de ser organizado ou de fazer as coisas de uma determinada maneira; trata-se da necessidade de controlar cada pequeno detalhe e de ter medo do que pode acontecer se você desistir, mesmo que seja um pouco.

Leve minha amiga Amy (não se preocupe, não é o nome verdadeiro dela). Para o mundo exterior, ela tem tudo planejado, lidando com as demandas da vida com graça. Mas a portas fechadas a história é diferente. Ela admite que a ideia de não estar no controle a deixa em pânico.

Cada plano de jantar, cada viagem de fim de semana, até mesmo como ela planeja sua lista semanal de compras, ela precisa estar no controle. É a maneira dela de tentar evitar pequenas surpresas.

Esta necessidade de controlar tudo, de evitar deixar tudo ao acaso, é um sinal revelador de insegurança subjacente. Ela não confia em si mesma para lidar com o que a vida lhe joga, ela tenta controlar tudo para estar preparada.

Mas o problema é o seguinte: a vida é inerentemente imprevisível. Nenhuma quantidade de controle pode mudar isso. Então, quando você vir alguém que parece não conseguir se soltar e relaxar, lembre-se de que muitas vezes essa é a maneira dela de lidar com as incertezas que estão por trás de seu exterior confiante.

4) Eles estão constantemente ocupados

Você já percebeu como algumas pessoas estão sempre ocupadas? É quase como se eles não conseguissem ficar parados.

Para quem parece superindependente, essa ação ininterrupta pode estar escondendo outra coisa, como inseguranças. Estar ocupado o tempo todo pode ajudá-los a evitar enfrentar aquelas pequenas dúvidas ou medos que surgem quando as coisas ficam calmas.

Isso te lembra alguém ou é algo próximo de você?

Alguns pesquisar mostra que ser visto como ocupado pode fazer alguém se sentir mais importante ou bem-sucedido, e pode ser por isso que mantém sua agenda lotada. É também uma forma de evitarem lidar com questões mais profundas.

Portanto, se você ou alguém que você conhece não consegue encontrar um momento de paz, pode valer a pena considerar se essa ocupação é real ou se é uma forma de evitar a sensação de insegurança. Reconhecer isso pode ser um passo para encontrar um equilíbrio mais saudável.

5) Eles raramente se abrem e mostram suas emoções

Quando alguém é extremamente independente, pode parecer que não precisa de ninguém e está sempre bem, mas todos temos sentimentos, certo?

Esconder emoções verdadeiras é outro sinal de vulnerabilidades ocultas.

Brené Brownespecialista em vulnerabilidade, diz que construir conexões significativas, encontrar seu propósito e ser você mesmo começa com a vulnerabilidade.

“A vulnerabilidade é o berço do amor, do pertencimento, da alegria, da coragem, da empatia e da criatividade. É a fonte de esperança, empatia, responsabilidade e autenticidade. Se quisermos maior clareza em nosso propósito ou vidas espirituais mais profundas e significativas, a vulnerabilidade é o caminho.”

Se alguém que você conhece parece extremamente independente e raramente se abre emocionalmente, isso pode indicar que está mascarando inseguranças. Aceitar a vulnerabilidade, como aconselha Brown, não é um sinal de fraqueza; é um passo em direção à autenticidade e a relacionamentos mais profundos.

6) Eles sofrem da síndrome do impostor

Você sabia que mesmo as mulheres aparentemente mais autoconfiantes e independentes podem experimentar síndrome do impostor? É onde os indivíduos duvidam de suas realizações e temem ser expostos como uma fraude. É surpreendentemente comum.

Quando se trata de mulheres independentes, a síndrome do impostor muitas vezes parece não se dar crédito suficiente e pensar que tiveram sorte. Eles podem sentir que realmente não merecem seu sucesso, sempre preocupados em serem descobertos.

Muitas mulheres realizadas, como Michelle Obama e Maya Angeloudiscutiram abertamente suas lutas contra a síndrome do impostor ao longo de suas carreiras, destacando o quão difundido esse problema é.

Muitas mulheres autossuficientes sabem tudo sobre a síndrome do impostor e fazem o possível para esconder suas dúvidas, revelando que um exterior duro nem sempre reflete o que está dentro.

Pensamentos finais

Acontece que ser superindependente não é apenas ser forte sozinho. Às vezes, desafios e dúvidas estão escondidos por trás dessa independência.

Quer seja difícil para você pedir ajuda ou você esteja se esforçando demais para provar algo, está tudo bem. Reconhecer esses sinais em nós mesmos ou nos outros é um passo para nos compreendermos e apoiarmos melhor uns aos outros.

Afinal, ser verdadeiramente forte também significa saber quando confiar nos outros.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.