Sean “Diddy” Combs emitiu uma resposta legal negando as alegações de que ele estuprou uma garota de 17 anos em 2003. Esta foi apenas uma das quatro acusações separadas de agressão sexual apresentadas contra o artista de R&B no final do ano passado.

A demandante, identificada como Jane Doe, alegou que ela voou em um jato particular de Michigan para o estúdio de gravação de Combs em Nova York. Depois de ser alimentada com grandes quantidades de drogas e álcool, a demandante alegou que foi estuprada por três pessoas, incluindo Combs e Harve Pierre, presidente da Bad Boy Entertainment.

Sob a liderança do advogado Shawn Holley, Combs disse a um tribunal federal em 20 de fevereiro que as alegações de Jane Doe eram “inteiramente fictícias”. Eles também responderam às fotografias fornecidas pela demandante – nas quais ela é retratada sentada no colo de Combs em seu estúdio de gravação – argumentando que as fotografias foram potencialmente falsificadas ou tiradas fora de contexto.

“Ele nunca participou, testemunhou ou teve ou está atualmente ciente de qualquer má conduta, sexual ou não, relacionada ao reclamante em qualquer circunstância”, diz o documento.

Os advogados de Combs também afirmam que estas alegações são inconstitucionais, considerando que a “decisão de esperar mais de duas décadas” do seu acusador obstruiu a sua “capacidade de se defender de forma plena e justa”.

“Algumas ou todas as evidências que de outra forma estariam disponíveis se a ação tivesse sido prontamente iniciada podem estar indisponíveis, perdidas ou comprometidas”, escrevem os advogados de Combs. O caso contra Combs foi aberto de acordo com a Lei de Proteção às Vítimas de Violência Motivada por Gênero, que permite que casos com lacunas de tempo significativas sejam arquivados fora do prazo habitual de prescrição.

Eles continuam escrevendo: “A ausência de provas impacta materialmente a capacidade do réu de se defender contra aspectos essenciais das reivindicações do autor. A identificação, disponibilidade e lembranças das testemunhas estão provavelmente comprometidas devido à passagem substancial de tempo desde o alegado incidente.”

Num comunicado fornecido a Variedade, o advogado de Jane Doe, Douglas Wigdor, escreve: “As alegações profundamente preocupantes contra os réus feitas por várias mulheres falam por si. A alegação ridícula de que as fotos são de alguma forma falsas e a lei em questão é inconstitucional nada mais são do que tentativas desesperadas de invocar uma defesa onde ela não existe.”

Em sua queixa inicial, o advogado de Jane Doe afirma que Diddy e os réus adicionais a “aproveitaram” quando ela era uma adolescente do ensino médio e, por fim, a colocaram em um esquema de tráfico sexual que envolvia “trabalhá-la com drogas e álcool e transportá-la em um jato particular para Nova York”. Cidade de York.”

“Como resultado de ter sido estuprada pelo Sr. Combs, pelo Sr. Pierre e pelo Terceiro Assaltante, a Sra. Doe sofreu um sofrimento emocional significativo e sentimentos de vergonha que atormentaram sua vida e relacionamentos pessoais por 20 anos”, alegou a denúncia.

A mulher decidiu se manifestar depois de ler sobre outro processo movido por Casandra Ventura, a estrela do R&B conhecida como Cassie, que acusou Combs de estuprá-la e espancá-la por mais de uma década. Combs rapidamente resolveu o processo com Ventura, mantendo sua inocência.

Combs também emitiu sua resposta no início de dezembro, escrevendo: “Nas últimas semanas, sentei-me em silêncio e observei pessoas tentarem assassinar meu caráter, destruir minha reputação e meu legado. Alegações repugnantes foram feitas contra mim por indivíduos em busca de um pagamento rápido. Deixe-me ser absolutamente claro: não fiz nenhuma das coisas horríveis que estão sendo alegadas. Lutarei pelo meu nome, pela minha família e pela verdade.”

Após a notícia das três primeiras acusações, Combs deixou o cargo de presidente da Revolt, a rede de TV com temática musical que ele fundou em 2013.

Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.