No meio da paisagem turbulenta do Sudão do Sul, surge um farol de esperança à medida que o governo envia 3.774 soldados da Força Unificada Necessária (NUF) para zonas assoladas por conflitos. Este movimento estratégico, que compreende seis batalhões, marca a primeira fase de um acordo de segurança abrangente que visa restaurar a paz e a estabilidade na nação devastada pela guerra.

Uma implantação calculada

Estas tropas recém-destacadas representam 7,1 por cento dos 53.000 soldados que se formaram no NUF em agosto de 2022. O 1º Batalhão foi enviado para Malakal, o 2º para Maridi, o 3º para Renk, o 4º e 5º Batalhões para Wau e o 6º Batalhão para Torit. Esta atribuição cuidadosa de forças aos focos de conflito significa o compromisso do governo em resolver a agitação em curso.

O Dr. Martin Elia Lomuro, ministro do gabinete nacional, revelou estes detalhes durante a 34ª reunião mensal do órgão de monitorização da paz R-JMEC em Juba. Ele também revelou que equipes estão sendo enviadas para verificar a situação das restantes forças unificadas em Panyier e Torit e avaliar as condições nas áreas de acantonamento para a próxima fase de desdobramento.

Obstáculos no Caminho para a Unificação

Apesar deste progresso, persistem desafios na unificação completa de forças. Os acordos para as patentes do Exército e da Polícia dentro das forças unificadas ainda estão pendentes, a partir de 9 de junho de 2023. No entanto, existe um acordo sobre a segunda patente para Prisões, Vida Selvagem, Bombeiros e Segurança Nacional.

O Acordo de Paz Revitalizado estipula que a unificação de forças é um passo crucial para proporcionar um ambiente propício às eleições. No entanto, o destacamento da maioria do pessoal da NUF enfrenta atrasos, levantando preocupações sobre a implementação atempada do acordo de paz.

Tensões renovadas e apelos à responsabilização

A violência recente no estado de Unity, após a deserção do Tenente-General Simon Maguek, exacerbou a situação volátil. O Mecanismo de Monitorização e Verificação dos Acordos de Segurança Transitória do Cessar-Fogo (CTSAMVM) expressou grande preocupação com a escalada das tensões e um incidente fatal no condado de Rubkona.

Representantes de vários grupos, incluindo o revitalizado governo de transição, apelaram à investigação e à responsabilização pela insegurança persistente. Enfatizaram também a necessidade urgente de mobilizar as forças unificadas necessárias para assumir o controlo total da segurança antes do final do período de transição.

Até agora, aproximadamente 52.000 forças unificadas foram graduadas das 83.000 forças exigidas pelo acordo de paz de 2018. Há apelos crescentes para acelerar o destacamento e o treino destas forças para fazer face às violações e demonstrar o empenho na implementação do acordo de paz.

Enquanto o Sudão do Sul enfrenta a sua complexa realidade, o envio destas 3.774 tropas serve como um lembrete da resiliência e da determinação da nação em abrir um caminho para uma paz e estabilidade duradouras. No entanto, o caminho a seguir está repleto de desafios e a comunidade internacional observa atentamente, esperando uma resolução pacífica para este conflito duradouro.



Share. Facebook Twitter Pinterest LinkedIn Tumblr Email

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.