Já sabemos que existe água na superfície de Marte, mas há quanto tempo? O Curiosity tem procurado evidências da presença de água em Marte a longo prazo e agora, uma equipe de pesquisadores acredita ter encontrado. O rover tem explorado a cratera Gale e descobriu que ela contém altas concentrações de manganês. O mineral não se forma facilmente em Marte, por isso a equipa pensa que pode ter-se formado como depósitos num antigo lago. É interessante também que a vida na Terra ajude na formação do manganês, por isso a sua presença em Marte é um mistério.

O Mars Curiosity Rover foi lançado em novembro de 2011. Chegou em 6 de agosto de 2012 na região da cratera Gale, em Marte. O objetivo era explorar a geologia da área, as condições climáticas e o potencial de habitabilidade para futuros exploradores. Vimos imagens impressionantes da superfície de Marte graças ao Curiosity e a nossa compreensão do passado e do presente de Marte foi melhorada como resultado do seu trabalho.

Novas simulações estão ajudando a informar a campanha de amostragem em andamento do rover Curiosity. Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS

Um artigo publicado no Journal of Geophysical Research: Planets relatou descobertas usando o instrumento ChemCam a bordo do Curiosity. O autor principal do artigo, Patrick Gasda, do grupo de Ciência e Aplicação Espacial do Laboratório Nacional de Los Alamos, anunciou a descoberta de altos níveis de manganês nas rochas da base da cratera. Pensa-se que a Cratera Gale é um lago antigo, o que levanta questões interessantes quanto à sua origem.

Na Terra, os processos biológicos são fundamentais para a formação de materiais como o óxido de manganês com a fotossíntese produzindo oxigênio atmosférico. Existem também micróbios que atuam como catalisadores para a oxidação do manganês. O problema é que não existe tal sinal de outra vida em Marte, por isso o processo que levou à formação de oxigénio na antiga atmosfera marciana não é claro. Se não conseguirmos compreender a formação do oxigénio, então teremos dificuldade em compreender como o óxido de manganês se pode formar. Talvez algo relacionado a grandes massas de água superficiais possa ser o responsável.

O instrumento ChemCam do Curiosity usa um laser para gerar pequenas quantidades de plasma na superfície das rochas marcianas. A luz é então coletada para permitir a identificação da composição da rocha. A equipe estudou areia, lodo e lama, sendo o primeiro mais poroso que o segundo. Acredita-se que a maior parte do manganês encontrado nas areias tenha sido resultado da percolação das águas subterrâneas. Na Terra, o manganês é oxidado pelo oxigénio atmosférico num processo que é acelerado por micróbios.

Ainda não temos todas as respostas, mas o estudo revelou, mais uma vez, um ambiente que já foi adequado para a vida. Esse ambiente parece semelhante a muitos lugares da Terra que também apresentam ricos depósitos de manganês.

Fonte : Novas descobertas apontam para um ambiente semelhante ao da Terra no antigo Marteh

Fonte: InfoMoney

Share.

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.