Os brasileiros têm ‘esquecidos’ em bancos cerca de R$ 7,5 bilhões, informa o Sistema de Valores a Receber (SVR) do Banco Central do Brasil. Pessoas físicas têm R$ 6 bilhões parados aguardando resgate e empresas têm cerca de R$ 1,5 bilhão .

Funcionando em definitivo desde março de 2023, o Sistema de Valores a Receber revela ainda que 31,1 milhões de pessoas têm até R$ 10 para sacar. Outros 12 milhões de cidadãos podem recuperar algo entre R$ 10,01 e R$ 100. 4,7 milhões podem reaver entre R$ 100,01 e R$ 1 mil, enquanto 850 mil pessoas ou empresas têm algo acima de R$ 1.000,01 a receber.

A maior parte do dinheiro esquecido está em bancos. Há muito dinheiro ainda em administradoras de consórcios, instituições de pagamento, financeiras, cooperativas, corretoras e distribuidoras.

Depois de ficar fora do ar por quase um ano, o SVR foi reaberto em março de 2023, com novas fontes de recursos, um novo sistema de agendamento e a possibilidade de resgate de valores de pessoas falecidas.

Como checar se você tem dinheiro esquecido em bancos? Como sacar?

No sistema SVR, o cidadão faz a consulta se tem valor a receber informando o CPF e a data de nascimento dele ou de uma pessoa falecida para descobrir se tem algum ‘dinheiro esquecido’ em banco, consórcio ou outra instituição financeira. Se for empresa, basta informar o CNPJ e a data de abertura da mesma.

Caso tenha algo a receber, a pessoa vai poder solicitar a devolução do dinheiro e a instituição ‘devedora’ deverá fazer a transferência na chave Pix informada no momento da solicitação.

Caso não consiga fazer a solicitação via SVR, a pessoa terá de entrar em contato com a instituição para combinar a forma de devolução do dinheiro.

No caso de resgate de dinheiro de uma pessoa falecida, o solicitante precisa ser herdeiro(a), testamentário(a), inventariante ou representante legal para acessar os dados. Para resgatar o valor do falecido, quem fez a pesquisa terá de falar com a instituição para saber que documentos vai precisar apresentar para receber o dinheiro.

Para consultar se tem valores a receber no Banco Central, basta informar o CPF ou CNPJ e a data de nascimento ou de abertura da empresa — Foto: Reprodução / Banco Central
Para consultar se tem valores a receber no Banco Central, basta informar o CPF ou CNPJ e a data de nascimento ou de abertura da empresa — Foto: Reprodução / Banco Central

O BC aconselha o correntista a ter cuidado com golpes de estelionatários que alegam fazer a intermediação para supostos resgates de valores esquecidos. Todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos, e o sistema não envia links nem entra em contato com beneficiários para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais.

A entidade também esclarece que apenas a instituição financeira que aparece na consulta do Sistema de Valores a Receber pode entrar em contato com o cidadão. Por fim, o BC pede que nenhum cidadão forneça senhas.

A atual fase do SVR tem novidades, como impressão de telas e de protocolos de solicitação para compartilhamento no WhatsApp e inclusão de todos os tipos de valores previstos na norma do sistema.

Também haverá uma sala de espera virtual, que permite que todos os usuários façam a consulta no mesmo dia, sem a necessidade de um cronograma por ano de nascimento ou de fundação da empresa.

Além dessas melhorias, também há mais transparência para quem tem conta conjunta. Se um dos titulares pedir o resgate de um valor esquecido, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver as informações: como valor, data e CPF de quem fez o pedido.

Valores a receber: veja como sacar dinheiro esquecido em bancos e instituições financeiras — Foto: Getty Images
Valores a receber: veja como sacar dinheiro esquecido em bancos e instituições financeiras — Foto: Getty Images

Share.

Formado em Educação Física, apaixonado por tecnologia, decidi criar o site news space em 2022 para divulgar meu trabalho, tenho como objetivo fornecer informações relevantes e descomplicadas sobre diversos assuntos, incluindo jogos, tecnologia, esportes, educação e muito mais.